Vila de Loriga



Álbum de Fotografias - Diversas (Fotos)

Álbum de Fotografias - Gente de Loriga (Fotos)

Página seguinte - Fotos de Loriga à noite

Arquivo Memorial - Diversos (Artigos de escrita)

Dados históricos (Artigos de escrita)

Arquivo:- Notícias em Destaque, de anos anteriores, aqui na "Actualidades"

***

Jorge Garcia - Aventura 2011 - Solidariadade para com o Bombeiros Voluntários de Loriga

Jorge Garcia - Aventura 2012 - Solidariedade para com as obras de restauro da Igreja Paroquial de Loriga

Jorge Garcia - Aventura 2013 - "O Caminho dos Peregrinos" movido no espírito da sua própria autonomia



Atualidade
- Síntese de Acontecimentos e Notícias -


Segunda-feira 11.11.2019 (às22H00)TMG

Pastel de Castanha
- A doçaria de Loriga em destaque -

Mais uma vez a doçaria de Loriga foi noticia de destaque, com mais uma inovação desta feita com um novo bolo de pastelaria fina o "Pastel de Castanha" confeccionado pelo Café Restaurante Império de Loriga e que foi o grande vencedor do concurso "Castanha, Saberes e Sabores 2019" realizado na vizinha localidade da Lapa dos Dinheiros, que nos compete aqui saudar e dar os parabéns.

Na verdade, é de realçar que Loriga na área de pastelaria fina está bem no alto, tenho dito e continuo a dizer que chega a ser surpreendente de não ficar atrás das grandes cidades, que para além de vermos a confecção dos bolos generalizados, com um sabor inconfundível, vamos tendo o privilégio de vermos serem confeccionados bolos de inovação, que nos vão encantando e consolando
.

Pastel de Castanha - Foto Zé Fernandes


Sábado 9.11.2019 (às12H00)TMG

Recordar
- 30 Anos da Queda do Muro de Berlim -

Hoje 9 de Novembro, data histórica para a Europa e para o Mundo, celebrando-se a chamada "Queda do Muro de Berlim" que ocorreu em 9 de Novembro de 1989, que para além de se tornar um símbolo do fim da "Guerra Fria", na verdade a Europa nunca mais foi a mesma e por conseguinte transformou o velho continente.

Um bocado do Muro que me foi oferecido na altura

Conheci e andei ao longo do muro, subi a miradouros existentes improvisados, para se olhar para o outro lado, que olhando para todo aquele cenário, com pena via uma mesma cidade e um mesmo povo forçosamente separados, que sendo construído anos depois do fim da II Grande Guerra, que para além de dividir esta grande cidade na altura capital alemã, também se tornou o ícone da divisão ideológica em dois blocos políticos antagônicos, ou seja o bloco ocidental, liderado pelos Estados Unidos, e o bloco oriental (soviético), liderado pela URSS.
O muro começou a ser erguido, mais precisamente na madrugada de 12 para 13 de agosto daquele ano, quando soldados da Alemanha Oriental começaram a divisão entre os dois lados da cidade utilizando estacas e arame farpado. Dois anos depois, toda a sua estrutura já estava pronta, incluindo as guaritas espalhadas por vários pontos, que passaram a ser ocupadas com soldados fortemente armados, com ordem de metralhar quem tentasse transpor as fronteiras do muro.
Aqui registo documentando um bocado do Muro de Berlim que tenho em meu poder como recordação da noite do dia 9 de Novembro de 1989, memorável data de liberdade e que assim se viu terminar com um cenário que também muitos consideravam o
"Muro da Vergonha".


Quarta-feira 6.11.2019 (às16H00)TMG

ANALOR
- Magusto Serrano 2019 -

É já no próximo domingo dia 10 de Novembro, que a ANALOR (Associação dos Naturais e Amigos de Loriga), leva a efeito os festejos da celebração do São Martinho, com a realização de um Almoço Convívio que vai ter lugar pelas 13H00, na Escola Secundária de Sacavém e pelas 16H00, a tradição do Magusto, (com oferta da castanha assada e Água Pé, aos seus associados).

Um dia especial com duas iniciativas bem apropriadas que vão esperar por todos, celebrando assim o São Martinho, festejos de uma data bem enraizada no povo português e festejada um pouco por todo o lado, que aqui me prezo a registar o Cartaz anunciante.


Segunda-feira 4.11.2019 (às8H00)TMG

Recordar
"Quando a baixa de Lisboa era também minha"

Um bom amigo de Loriga chamado Orlando Pires, filho de pai loriguense, tem-nos habituado através da rede social do Faceboock, com fotos antigas, que nos fazem voar no tempo e nos transmitem aquela nostalgia de tempos há muito idos, mas ainda bem presentes nas nossas memórias.
Algum tempo atrás, publicou uma foto antiga do famoso Restaurante Castanheira no Lumiar, ainda mais recentemente publicou uma foto da Pastelaria Castanheira, situada na Rua do Loreto, bem perto do Largo Camões em Lisboa, que tal como disse e muito bem, foi ali gerente ou encarregado como se dizia na altura o senhor Carlos Simão, nosso conterrâneo, que me trouxe à memória mais uma história para contar dos tempos "quando a baixa de Lisboa era também minha"
Como introdução devo dizer que, o Restaurante Castanheira no Lumiar, foi dos mais famosos restaurante da capital durante a sua existência (entre 1949 e década de 1960) assim como, as célebres Pastelarias Castanheiras que estavam inter-ligadas e criadas pelo mesmo fundador, casas famosíssimas e que se conjuga de certa forma em terem ficado ligadas a Loriga e à sua gente, que vale a pena contar.
Começo por falar no Restaurante "Castanheira" no Lumiar, que abriu as suas portas no dia 16 de Abril de 1949, na Estrada da Torre no Lumiar, restaurante que foi seu fundador e proprietário António Castanheira de Moura (1865-1961), natural de Vila Seca (Tábua), que foi um famoso comerciante que começando praticamente do nada, lançando-se com uma pequena padaria, veio a implementar um seu império, que para além de ter fundado o restaurante criou 246 estabelecimentos, na área da produção e venda de pão e também pastelarias.

Logo depois da abertura das suas portas este espessíssimo restaurante "Castanheira" situado na Estrada da Torre (como se dizia na altura) no Lumiar, passou a ter um sucesso sumptuoso, tendo 2 salas com capacidade para 300 pessoas, que se tornou e foi sendo assim ao longo da sua existência um autêntico ex-líbris daquela zona de Lisboa e mesmo de toda a capital.
Este restaurante ficou registado para a história de Loriga, ao ter sido ali realizado o 1º. Encontro Convívio dos loriguenses em Lisboa, que ocorreu no ano de 1951, que aqui me prezo a documentar a foto tirada, que segundo relatos que cheguei a ouvir de pessoas que ali estiveram, ficou marcado como dia memorável, ao se juntar dessa forma muitos conterrâneos da já vasta comunidade loriguense a residir em Lisboa e nomeadamente em Sacavém.
Uma outra ligação há gentes loriguenses, reporta às Pastelarias Castanheiras, onde eu também me incluo, podendo recordar primeiro o nosso conterrâneo Carlos Simão, que primeiro foi encarregado na Pastelaria Castanheira na rua das Portas de Santo Antão, mesmo em frente ao Coliseu, onde era também ao mesmo tempo a fábrica e dali se dava o fornecimento para as outras Pastelarias.

Foi ali no princípio da década de 1960, onde eu ainda o cheguei a ver este nosso conterrâneo (já há muito anos falecido) que como curiosidade tal como o seu irmão António Simão, também comerciante na Baixa, sempre os ter conhecido fiéis como verdadeiros loriguenses de gema, por nunca perderam o sotaque mesmo a "Loriguês". Mais tarde o senhor Carlos Simão foi para a outra Pastelaria Castanheira na rua do Loreto, onde se manteve até à sua reforma.
Entretanto também, mais um loriguense Manuel Lopes Brito, (também já falecido) por sinal meu primo, passou a ser encarregado de uma outra Pastelaria Castanheira, onde eu cheguei a trabalhar com ele durante uns três anos de 1965 a 1968, que se situava também na Rua das Portas de Santo Antão, praticamente logo ao princípio da mesma e ao lado da famosa e eternizada casa da "Ginginha".
Na época era das casas mais famosas na baixa de Lisboa, com um movimento magnificente impossível de igualar, onde diariamente se vendia milhares de bolos de toda a qualidade, ali passando diariamente centenas e centenas de pessoas, que mesmo não sendo de espaço de grande dimensão, eram seis e sete empregados sempre presentes que não tinham mãos a medir, onde me vem à lembrança também diariamente por ali passarem loriguenses, nem que fosse só para dar uma saudação amiga, algumas da vezes dando apenas um adeus da porta.

Entretanto, o restaurante "Castanheira" no Lumiar, na década de 1960, que sendo um restaurante de uma magnitude impressionante, mas com o despontar de outros restaurantes, provavelmente mais acessíveis, foi começando a ter alguma dificuldade, para manter a mesma postura, não tardando que viesse encerrar as suas portas, onde na época já tinha sido criada a poderosa Sociedade Padarias Lda., à qual pertencia e que abrangia também as Pastelarias Castanheiras existentes e as padarias ainda activas.
Foram mais loriguense que trabalharam nestas Pastelarias Castanheiras, no que toca a mim como disse trabalhei três anos de onde sai para a vida militar, no regresso já para lá não voltei por ter endereçado para um novo projeto, na ida para Loriga, para abertura do Café Restaurante "Império" (no ano de 1972) e por lá estive a residir durante oito meses.
Devo acrescentar que o meu primo Manuel Lopes de Brito, foi o último resistente loriguense relacionada às casas "Castanheira", alguns anos mais tarde e já nos finais de 1970, deixou de ser encarregado passando para a parte administrativa e para os escritórios da empresa da Sociedade Padarias Lda., junto ao Martim Moniz, onde se manteve até à sua reforma.
Estando eu já por terras da estranja, venho a ter conhecimento do encerramento desta afamada Pastelaria Castanheira, que fez parte de mim, mais tarde venho ainda a saber que passou a ser uma casa de venda de artigos chineses como é ainda hoje e aqui registo a foto. Na verdade um contraste de uma casa famosíssima na baixa de Lisboa, que nunca imaginei a poder ver assim, cada vez que por ali passo dou comigo a contemplar aquela casa que tão bem a conheci e a vivi, percorrendo-me um sentimento de lamentos, mas o tempo não se compadece de lamentações, ficando sim para mim a recordação de memórias que aqui recordando me faz viver.


Domingo 3.11.2019 (às10H00)TMG

Dia de Todos os Santos
- A visita ao cemitério -

Mesmo com o tempo que se fez sentir em Loriga, a tradicional romagem ao cemitério foi realizada, em que ressalva toda a dedicação do povo aos seus ente queridos que já partiram desta nossa vida, que com as campas "melhor arranjadas" predominando as flores e a iluminação das luzes das velas, o envolvimento da pessoas junto das campas são a presença viva nas saudade e nas recordações.
Mais uma vez estiveram presentes representantes da embaixada da África do Sul em Lisboa, que foram a Loriga e estiveram presentes nas homilias religiosas do dia, visitando também o cemitério, no objetivo de preitearem os militares ingleses vítimas mortais da
"Queda do Avião" e ali ficaram sepultados em campa rasa cedida pela Junta de Freguesia de Loriga, que o povo perpetuou como "Campa dos Ingleses".

Recorde-se que nunca ficaram totalmente esclarecidas as causas do acidente, no entanto, pensa-se ter ficado a dever-se ao nevoeiro. Era um avião inglês "Hudson Aircraft" que tinha deixado nesse mesmo dia Gibraltar com destino ao Reino Unido, transportando os seguintes ocupantes e ali sepultados:
-Capitão-Roberto Tavener HILDICK; Tenente-John BARBOUR; Tenente-Daniel De Waal WALTERS; Tenente-John Patie THOM; 1.Cabo-Jack Learoyd WALKER; 1.Cabo Henry Ernest HEDGES.
Conforme consta das Certidões de Óbitos passadas pelo Registo Civil de Seia, as mortes ficaram registadas como tendo acontecido à uma e cinquenta minutos desse dia 22 de Fevereiro de 1944.

Foto - Zé Fernandes

Foto -Carlos Zé


Sexta-feira 1.11.2019 (às7H00)TMG

Hoje Dia de Todos os Santos
Amanhã Dia dos Finados

Nestes dois dias a Igreja Católica celebra a Festum Omnium Sanctorum - Festa de Todos os Santos hoje dia 1 de novembro que é seguido do - Dia dos Finados ou Dia dos Fieis Defuntos amanhã 2 de Novembro. Estas datas por todo o lado são de uma enorme simbologia da paixão, luto e da saudade, por todos os ente queridos que já partiram desta vida dos vivos.

Em Loriga estes dias são bem significativos, vividos com muito sentimento e sentida dor, tradicionalmente vindo de longe, chegam até Loriga muitos loriguenses, para estarem presentes na visita ao cemitério, unidos na Romagem que em procissão leva o povo até ao recanto santo, onde as famílias se reúnem junto das campas onde repousam os seus familiares, num envolvimento de recordação por aqueles que partiram mais cedo, mas que continuam bem presentes.


Arquivo das Noticias inseridas (últimos meses) aqui no "Actualidades"

***

Janeiro/2017

Março/2017

Maio/2017

Julho/2017

Setembro/2017

Novembro/2017

Fevereiro/2017

Abril/2017

Junho/2017

Agosto/2017

Outubro/2017

Dezembro/2017

***

Janeiro/2018

Março/2018

Maio/2018

Julho/2018

Setembro/2018

Novembro/2018

Fevereiro/2018

Abril/2018

Junho/2018

Agosto/2018

Outubro/2018

Dezembro/2018

***

Janeiro/2019

Março/2019

Maio/2019

Julho/2019

Setembro/2019

Fevereiro/2019

Abril/2019

Junho/2019

Agosto/2019

Outubro/2019


Leia e divulgue o Jornais de Loriga, que existem a pensar nos Loriguenses e nos amigos de Loriga
Jornal "Garganta de Loriga" - Propriedade e Administração da ANALOR - Sacavém
Jornal Boletim Paroquial "A NEVE" - Propriedade e Administração Paroquial - Loriga

***

Grupo de Música Tradicional Portuguesa "Grupo Coral da ANALOR"
Contacto:
ANALOR (Associação dos Naturais e Amigos de Loriga - Sacavém, Telef.214917640 -
Email.- analor@netcabo.pt


E f e m é r i d e s

Janeiro

Março

Maio

Julho

Setembro

Novembro

Fevereiro

Abril

Junho

Agosto

Outubro

Dezembro


Álbum de Fotografias - Diversas (Fotos)

Álbum de Fotografias - Gente de Loriga (Fotos)

Página seguinte - Fotos de Loriga à noite

Arquivo Memorial - Diversos (Artigos de escrita)

Dados históricos (Artigos de escrita)


Uma ajuda para com mais rapidez entrar no tema do seu interesse

Indice


Set/1999 - net/prod.© c.Site AMMPina (Ano 2009)